Associados da Abracorp debatem economia do país com ex-ministro Mailson da Nóbrega

Nesta quarta-feira (5), realizamos a Reunião de Associados Abracorp, instância de nosso modelo de governança que reúne o Conselho de Administração com os associados.

Outubro / 2022



Desta vez com uma novidade importante. Além de nossa pauta tradicional, tivemos um convidado especial para falar sobre temas que nos rodeiam e mexem com os humores do mercado. Além da presença de nossos associados, convidamos, também, os PARCEIROS DE VALOR ABRACORP, empresas que tem nos apoiado para que possamos promover o desenvolvimento com informação de qualificada no mercado das viagens corporativas. Esiverem presentes a Rede Accor, A Azul, o Bradesco, a B2B Reservas, a Gol, a Latam e a Movida.  Essa é uma iniciativa que mobilizou também Accor, Gol Latam Azul, B2B Reserva, Movida e Bradesco, nossos Parceiros de Valor

 

Recebemos o ex-ministro da Economia, Mailson da Nóbrega, por unir seus conhecimentos de economia e política. Foi um momento muito importante, em que debatemos o futuro da economia brasileira e como está a recuperação do turismo corporativo. Uma discussão muito rica e esclarecedora com um dos nomes mais conhecidos da economia brasileira.

 

Apresentamos também o andamento dos projetos, conforme o planejamento já definido, ao mesmo tempo em que debatemos amplamente todos os aspectos de interesse do setor.

 

Nas palavras de Mailson da Nóbrega, “pode-se manter otimismo sobre o futuro, mas se preparar para o que vier”. O ex-ministro percorreu um longo caminho para nos mostrar que podemos ser otimistas, mas com cautela. O cenário apontado por Mailson está baseado em alguns pontos: democracia consolidada; 37 anos de estabilidade política; Judiciário independente; investigação autônoma da corrupção; imprensa livre, competitiva e agressiva; e disciplina de mercado.

 

O ex-ministro citou ainda outras vantagens de nosso país, que nos leva a prever um futuro melhor: agronegócio e setor mineral competitivos e ausência de vulnerabilidades do passado, com sistema financeiro sólido e sofisticado, resistente a crises bancária e cambial, além de contas externas saudáveis.

 

Segundo Mailson, não há necessidade de grandes mudanças de rumo. Nas suas projeções até 2026, chegaremos naquele ano com uma sociedade mais amadurecida, com ambiente para formar consensos; e teremos melhores condições para aprovar reformas complexas e privatizar grandes empresas estatais. O ex-ministro acredita que podemos ter esperanças em torno de um projeto desenvolvimentista sustentável, nos campos político, econômico, social e ambiental.

 

O primeiro encontro foi positivo, segundo os participantes. Desde já, estamos definindo o próximo convidados.